Publicação sobre ativismo latino-americano conta com artigo de ativista baiana

Tem artigo brasileiro no livro ¿Qué democracia para el siglo XXI? , iniciativa das organizações argentinas, Asuntos del Sur e Democracia en Red, que foi lançado na última semana. A ativista social Monique Evelle, de Salvador (BA), é a única mulher negra a ter uma reflexão publicada no livro que conta com 12 autores de todas as partes da América Latina. Os textos se dedicam a compartilhar experiências no âmbito das ações para a redemocratização dos países latino-americanos e olhares diversos para o futuro.

MONIQUE_01
Foto: Dario de Dominicis

Em seu artigo “Quilombos digitales y participación política”, Monique aborda o histórico do movimento negro no Brasil e como a juventude negra se organiza a partir do uso das novas tecnologias da informação e comunicação. “A democracia que queremos para o século XXI, não invisibiliza a juventude negra,  sobretudo a mulher negra da América Latina. Representatividade importa e vamos ampliar nossas vozes e renovar a política”, destaca a Evelle.

A jovem baiana tem 21 anos é estudante de Humanidades com ênfase em Política e Gestão da Cultura na Universidade Federal da Bahia. Ela fundou o Desabafo Social, uma rede social presente em 22 estados do Brasil, que desenvolve trabalhos no âmbito da educação e formação social, em especial da juventude negra. Quando criou o Desabafo, ela tinha apenas apenas 16 anos.Desde então se dedica a estudar e realizar ações para valorização da cultura e sabres afro-brasileiros.

Baixe o livro, conheça as ideias de Monique e outros ativistas da América Latina.